Corrida no Alentejo

No domingo corremos em Montemor-o-Novo o Campeonato do Alentejo de Estrada. 10 Km um pouco acidentados (39, 8 % de subida, 26,6 % plano, 33, 6 % de descidas) que 130 "alentejanos" enfrentaram entre outros compromissos. Ninguém foi lá para ser "campeão do alentejo" mas demonstraram que no Alentejo se corre. Corre-se e cada vez mais.
Constate-se a cada fim de tarde chuvoso - e por Portalegre falo que é onde vivo - com corredores aparecendo de cada canto em direcção a lugar nenhum, sozinhos, com as cara-metades, em cardume, em alcateia ...
Para medir tudo temos o STRAVA, nomeadamente o seu excelente Strava Global Heatmap de que adjunto imagem com identificação dos principais centros de corrida - por efectiva monitorização - da região. Este o verdadeiro Campeonato do Alentejo. Mostra muita coisa a quem o quiser analisar. A principal constatação pessoal é a importância que o trail running tem tido na captação de entusiastas pela corrida. Basta olhar para o movimento na Serra de São Mamede. Basta olhar para o movimento da Serra D'Ossa.
O STRAVA permite identificar quem é o CAMPEÃO DO ALENTEJO
Em Montemor correu-se o Grande Prémio local pela 18.ª vez. Tinha lá estado em 2011, tão só 5 meses após ter reiniciado a prática da corrida, a Maria já lá tinha ido nas primeiras edições quando ainda os corria com facilidade em menos de 40 minutos. Fomos por ser Campeonato do Alentejo e isso interessar à Alcateia que em grupo definira os objectivos para a época. Adorei fazer a prova. Apenas 1 semana após a Maratona de Sevilha senti-me completamente recuperado. Fui o 7.º M55 do evento e a Maria foi a 1.ª F50. Ainda nos mexemos bem neste campeonato cujo o objectivo principal é o de acrescentar vida aos anos que temos e que já não são assim tão poucos. Continuámos a acrescentar vida durante a tarde. Após uma fastidiosa entrega de prémios - se "mandasse" acabava com as cerimónias protocolares, só de pensar que no UTSM vamos ter este ano mais de 200 prémios por classificação para entregar fico com urticária! -  fomos ao melhor, almoço de grupo no restaurante típico A Ribeira. Boa comidinha, ementa cantada pelo proprietário, o Carlos, que faz da refeição um espectáculo pelo bom ambiente que cria. No regresso de novo a chuva, a chuva que tanta falta fazia ao nosso Alentejo e que agora cai por Deus mandada. Tudo verdinho à volta, regatos a correr por todo o lado, boas sensações, excelente Campeonato do Paraíso.
A Vitorina ainda marca TOP10 do Alentejo 

Reta da Meta, 43 minutos depois de ter partido (foto de Sara Madeira)


Mensagens populares