Lisboa, Lisboa ...


2 + 1 + 2 na passagem do ano. JP e Amy passaram o ano por Portalegre e não terá havido grande actividade física por estes lados a julgar pelo prazer com que ela nos acompanhou hoje ao final do dia na segunda do ano! A primeira do ano acontecera logo nas duas primeiras horas do ano de 2017 quando subíramos meia Lisboa rumo a casa após o fogo de artifício no Terreiro do Paço para desmoer a jantarada com que comemoráramos a despedida de um óptimo 2016 no Restaurante Rolo com o Sérgio, a Paula, a Marta, o Rui e a Anabela.
Logo pela manhã de dia 31 acontecera o 2 + 1. O "2" da Vitorina e da Inês que correram os 10 Km da São Silvestre de Lisboa, ambas entre os 40 e os 50 minutos. O "1" aqui do JC que "tocado" optou por não se meter em altas cavalarias para não estragar. Fiquei por fora a observar e fotografar. A reflectir na evolução que o fenómeno da prática da corrida vem experimentando. Foi a primeira vez que contactei directamente com uma organização da HMS Sports e a impressão positiva que tinha desta Organização confirmou-se. Certo que o dorsal da Marta ficou por entregar por me ter baralhado com a papelada e pela assistente responsável pela entrega não ter visto a papelada com a devida atenção. Estas organizações de grande escala têm tendência a desumanizar-se. Grades a mais, segurança a mais, dificuldade em começar a correr a mais, mas na verdade a Organização terá feito de tudo para minorar estes aspectos. Enquanto observava e me deslocava para a Praça da Figueira para ver como iam as coisas aos 7 km, antes da subida da Avenida da Liberdade que baralha os tempos, passei pela Espingardaria Central e recordei os tempos em que subíamos ao 1.º andar para comprar ao Morujo Júlio uns ASICS como se fossem contrabando. Como tudo mudou. Hoje o running é o principal sector de vendas nos cadeias especializadas dos hipermercados.
Gostei de ver o Aldegalega ainda a correr, e ao lado da loba Paula Matos pelo Km 7; claro que apreciei sobremaneira que a minha Maria (Vitorina) fosse 2.ª F50 com 44 m 18 s, mais 10 m que o RP dos tempos áureos mas cá continua qual inspirador Aldegalega; claro que adorei ver a minha Maria (Inês) transportar o meu dorsal em 49 m 49 s, a primeira vez dela abaixo dos 50 minutos. É bom estar do lado de fora? Não! Aprende-se, reflecte-se, cumprimentam-se amigos que há muito tempo não revíamos, mas não é nada bom estar do lado de fora por sentir dores na articulação  coxo-femural esquerda, a da lesão antiga. Assusta um bocado mas isto é só para nos colocar a capacidade de gestão global de carreira à prova. Não tarda ainda baixo dos 40 minutos aos 10 Km. Tenho essa promessa por cumprir!


Entertainer Pedro Fernandes posa com parte da alcateia (foto Armindo Santos)
Vitorina e Inês correram a São Silvestre de Lisboa 2016 (foto Armindo Santos)
Longe vão os tempos dos ASICS no Morujo
7000 correram SS de Lisboa
A passagem do ano foi com amigos e também meteu actividade física
É com grandes objectivos que os "5" entram em 2017

Mensagens populares