Tempestade nos Descobrimentos

3 são ... quase 5!
A história trágico-marítima associada ao comércio marítimo desencadeado com a epopeia lusa dos Descobrimentos é também ela grandiosa e encontra-se parcialmente documentada na obra setecentista de Bernardo Gomes de Brito. No domingo, ao avistar o cais das colunas sob temporal, com dezenas e dezenas de gaivotas pairando em voo baixo, correndo encharcando os pés em lençóis de água que nem num trail, senti como, apesar do penoso que estava a ser avançar contra a chuva e contra o vento na Meia Maratona dos Descobrimentos, em nada este meu esforço - e o de cerca de 3000 cúmplices de ocasião - seria comparável ao esforço titânico e tantas vezes trágico dos tripulantes das naus e galeões do passado e a quem, na ocasião, de alguma forma homenageávamos.
A ida para Lisboa na véspera já acontecera  debaixo de temporal pegado e por sorte não acabara mal. Óleo e muita água na estrada valeram peão à saída da 2.ª circular e só por milagre não acontecera tragédia. Felizmente ficou apenas a péssima sensação de me sentir deslizar sem controle. Igual sensação a tive nos primeiros Km da prova quando ainda seguia, inseguro, o balão da 1h30. Os MX80BR2 FRESH FOAM da NB não me convenceram de todo para piso molhado. Ou será que o pesadelo de ainda me sentir a deslizar no óleo da estrada não me abandonara ainda? O certo é que deixei o conterrâneo georunner Luís Carvalho seguir nesse ritmo e resolvi resguardar-me para tentar terminar sub 1h35, o que vim a conseguir.
Bem bom e que mais quero eu senão sentir-me vivo e bem dentro do primeiro quinto do pelotão? Bem metida na primeira metade (1203.ª de 2622) entrava na Meta a Inês - acompanhada da mãe - já na casa da 1h49. - Não tens a noção? - dizia-me ela no final. - Não tens a noção da popularidade da mãe! Constantemente abordada e incentivada!
Então não tenho a noção? Claro que tenho a noção. Esta foi a primeira prova nacional que fizemos depois do ACP ter voltado atrás na decisão de não organizar o UTSM. Quanta responsabilidade acrescida retiramos das inúmeras abordagens de conhecidos e desconhecidos a congratularem-se com o facto. A construção do projecto ACP, já com um quarto de século, deixa marcas, quase todas positivas.
Os 12 lobos que embarcaram na Meia dos Descobrimentos
Uma delas é a foto de grupo à entrada do Centro Cultural de Belém, outra é verificar como a dedicação proporciona a alegria das marcas superadas por velhos e novos companheiros de jornada, outra o almoço vegetariano - como eu me convertia facilmente à moda se devidamente acompanhada por umas taliscas de jamon serrano - em família acrescentada dalguns amigos. Lisboa esteve tempestuosa no FDS. Mas nós navegámo-la quase sem problemas.
JC a deslizar a uma média de 4.30 o Km sob o temporal

Lá vão elas lado a lado todas catitas

Nem o dorsal resistiu à intempérie

Mensagens populares