Da Terrinha ao Trail do Sor

Jovens da Associação Terrinha a Re-Descobrir Portalegre
Correra 29 Km sob 38ºC há 15 dias, fizera o necessário tapering na semana prévia, partia bem hidratado, a motivação era assim-assim mas o Trail do Sor voltou a ser o meu corta-mato de Monforte da juventude. Explico. Quando jovem coleccionei algumas desistências numa mesma prova, um famoso corta-mato que organizavam em Monforte ali na zona das igrejas, que se vê bem do IP2 agora, quando lá passamos. Bem, no fundo aquilo era um trail, sobe-e-desce constante. O meu estômago não aguentava tanta montanha russa e enjoava. Em Ponte de Sor há 3 anos fora lá uma semana após a Maratona de Lisboa, completamente despejado ainda e comecei no longo, na agulha passei para o curto e ao chegar à ponte passei para a Caminhada. Ficou célebre essa participação. Ontem comecei no longo, após o PAC 2 ia já determinado a passar para o curto mas - ele há horas de sorte - ao chegar de novo à ponte passam o Nelson e a Cláudia de carro - ele já desistira, ela nem alinhara - e perguntam o que nunca pode ser perguntado: - Mister, quer boleia?
Atravessei a Meta mas só para acompanhar a dorsal 111. Já retirara o meu dorsal 1! (Foto cortesia Bué de Fotos)
Nem todos os 1 são iguais!
A propósito digo desde já não estar nada arrependido da decisão. Correr provas tão duras quanto o são um trail, durante 4 ou mais horas, sob temperaturas a rondar os 40ºC são um verdadeiro perigo para a saúde. Há quem se adapte bem - a Vitorina fez uma prova magnífica e sentiu-se sempre bem! - mas também há quem acabe com problemas sérios provocados por desidratações severas. Ora com 1/3 de prova ainda apenas, já me sentia sem combustível, o sol já me branqueava a cabeça, pernas cada vez mais pesadas, como tentar ainda os restantes 2/3? Correr envolve sempre uma parte de desconforto, de dor mesmo, mas tudo dentro da zona de conforto. Para mim é assim. Na antevéspera participara numa Caminhada integrada na iniciativa Re-Descobrir Portalegre e nessa actividade participara o menos desportivamente activo dos Cinco, o João Pedro e é nesse registo que me posiciono: actividade física associada à saúde! Pode até ser uma Maratona, pode ser um trail bem duro e exigente, podem ser 10 Km de prego a fundo mas o meu cérebro e o meu corpo têm que sentir que tudo isso está associado à saúde. Senão, nem que me atribuam o dorsal número 1. Prefiro passar pela vergonha de não o conseguir transportar até à Meta.

Mensagens populares