Verão na Sierra Fria

A fronteira Portugal <> Espanha de Galegos apresenta-se imponente com o majestoso afloramento rochoso de Puerto Roque à esquerda e a alta mas arredondada Sierra Fria à direita. Hoje passa-se por ela dando conta do aspecto abandonado das instalações fronteiriças mas os menos jovens dos 5 são do tempo em que para ir com o Sr. Tapadinhas correr a subida ao Puerto de los Castaños tinha que se apresentar autorização parental em papel selado reconhecida por notário. Velhos tempos que esperemos não voltem!
Hoje em dia a relação fronteiriça é pautada pelo conhecimento pessoal mútuo e pela cumplicidade dos gostos entre vizinhos e vecinos. Vão quentes os veraneios dias na Extremadura e no Alentejo pelo que ontem vimos nascer o sol em São Mamede a caminho da Sierra Fria. Pelas 7 h  já tínhamos encontro marcado em  El Pino, não no carnicero pelo toucinho, como há apenas duas décadas, mas com o Ismael e o Che, amigos recentes que no trail running fizemos. Entre lobos e javalis reunimos quase 40 pernas que deambularam entre os tanques da Sierra Fria e as recentemente (2012) descobertas pinturas rupestres com cerca de 5000 anos a que se acede por um trilho pedregoso escarpado até ao alto do maciço do Puerto Roque. Fantástico pelas vistas, a quem não perturbe vistas tão alcantiladas. Dos 5 nem todos lá foram pelo seu pé ... O próximo Valentrail de 30 de outubro por aqui andará. Atrevem-se? As inscrições já abriram.
O resto da manhã foi de desnível, veredas, os magníficos estradões da Sierra Fria e, sobretudo, de passagem pelos tanques para apoio ao combate a incêndios que construíram na Sierra Fria após o horrível incêndio que a devastou em 2003. Não se pode nadar neles por motivos de segurança mas éramos tantos que nos protegemos uns aos outros.
Ainda não eram 11 h da manhã, o calor apertava cada vez mais mas já ganháramos o dia: 3 belas horas de movimento contínuo bem no coração da nossa bela jangada de pedra.

Mensagens populares