Salão Frio com 34ºC

Portas de Alegrete a meio da prova (foto de Pedro Tavares)
São os efeitos do aquecimento global. 34ºC no Salão Frio. Mas calor é tão bom!
Tudo começou pelas 17 h na planície alentejana (345 m) e terminou, praticamente 10 Km depois, no referido Salão Frio (676 m), o topo serrano da serrana Portalegre. 10 Km e um D+ de praticamente 400 m. Num trail já seria algo, numa prova de estrada foi algo. Os ingredientes para o pequeno desafio me desafiar estavam pois todos reunidos: subidas e calor! Nada que me impedisse de Partir, nada que me tenha impedido de Chegar. E chegar bem. Completar uma corrida assim a menos de 6' o Km não seria mau, era uma horita, desde cá em baixo até lá em cima, e era até mesmo o objectivo; completá-la em 54 m 27 s, uma média de 5' 27", esteve perfeito. Deu para ser TOP30 entre mais de 100.
Ainda na Zona Industrial (foto de Pedro Tavares)
Calor é tão bom mas quando fui, de manhã, com a Maria, ao Mercado à massa frita comme d'habitude e estava um nevoeiro fresquinho até nasceu uma alma nova. Nada que se confirmasse. O avançar do dia confirmou o belo dia de Verão anunciado, a tarde trouxe a conclusão da planificação do pacote de treino para a Maratona do Porto, para relaxar, e pelas 16 h marchámo-nos para o local do crime. Já lá havia gente, já lá havia lobos e lobas, todos ligeiramente ansiosos, pois todos queríamos fazer figura e não ficar com o pelo chamuscado na nossa própria Terra. O normal.
Foto de grupo com o Francisco Gil e ... partir. A Maria arrancou tipo "6 s dos 0 aos 100" que até o Gil teve para lhe colocar uma tabuleta a dizer "viatura como nova, de serviço" e eu lá me fui colocando em movimento atrás das lobas todas que arrancam tipo "8 s dos 0 aos 100"! Sou cada vez mais um Pesado que demora a alcançar a velocidade de cruzeiro!
No pódio M50 com o Vitor Cordeiro (foto de Vitorina Mourato)
A prova não foi novidade tanto a tínhamos preparado, não podia ser novidade, tanto corremos na nossa cidade. Da Zona Empresarial, passou à Zona Comercial, atravessou o Bairro dos Assentos - aquela rampa do quiosque foi a primeira já prevista estocada - passou pelo Baco com a satisfação de ver a mamã na altaneira varanda da sua casa sem me ver e o filho - o tal quarto elemento dos Cinco que praticamente não levanta o sim senhor do sofá - acompanhado da Amy - o quinto elemento dos Cinco que daria tudo para ir connosco fosse onde fosse. Passamos pela China Town - antiga zona histórica da cidade - e avançamos pela Amador Arrais acima rumo à estrada da serra. Nesta fase a Maria, que entretanto tinha sido alcançada, despediu-se sem se despedir e toca de meter o trombil no chão para ir vendo o que faltava a pouco e pouco.
Ambiente ao rubro em dia de muito calor! (foto de Vitorina Mourato)
Água na Praça da República, água na Fonte dos Amores, mangueiradas em vários locais, gente a aplaudir q.b. - ainda de manhã quando fora cortar o cabelo me apercebera da satisfação lagóia por afinal a prova não passar pela Avenida da Extremadura à hora de vir das compras, há coisas em Portalegre que não vão mudar nunca, bendita pequenez!!! -, muito policiamento, marcações à trail, voluntários nos cruzamentos, tudo na Organização preparado para que não houvesse a mínima falha e não houve.
Não houve falhas na parte desportiva e ainda menos na parte social. Tudo terminou num arrail popular de São João na sede do Centro Vicentino da Serra que organizou o evento. Os 34ºC foram baixando a pouco e pouco mas o calor tão bom não baixou nunca. Sardinhas, pódios com fartura para os lobos - até para mim, 3.º M50!, bailarico e meia dúzia de TV's para que ninguém perdesse nada do Portugal - Croácia que marcou o dia desportivo desta futebolística nação. Como até aqui ganhámos também pode dizer-se que foi um dia sempre em ascensão! Venham mais assim!

Mensagens populares