Menos de 36000 passadas no Porto?

A 140 dias do Porto já esquecemos tudo!
Em Sevilha na Plaza de España
140 dias e todo um Verão pela frente para preparar a Maratona do Porto. Em 2015 estive lá, aluguei quarto com cama de casal mas dormi sozinho. A Maria Vitorina preferiu amadrinhar, no mesmo dia, o fantástico Trail de Nisa mas para 2016 já está com inscrição paga - e não são baratas - pelo que não me falhará a companhia durante algum tempo. Corremos juntos em Sevilha em 2015 e 2016 e isso foi muito gratificante. A maratona é uma distância amigável. É necessária estratégia para a conseguires completar ao teu melhor nível e isso implica que corras num ritmo mais confortável que aquele que consegues imprimir numa distância mais curta. O problema é que é muito tempo de relativo conforto. Em 2015 no Porto chegar à meta, sob 20ºC a 25ºC, implicou que batesse com os calcanhares no alcatrão - demasiado com os calcanhares no meu caso dado o meu estilo de corrida - 166 vezes por minuto com uma passadita de 1,18 m o que perfez um total de 36.022 passadas. Não dá para contá-las uma a uma embora uma das minhas estratégias de vencer o esforço quando o esforço é já demasiado, seja precisamente ir contando as passadas até 500, até 700, o que calhar e, indefinidamente, recomeçar! Resulta, os Kms passam!
Lisboa, Porto e Sevilha: 3 trajetos todos diferentes e todos fabulosos. Não há melhor maneira de conhecer uma cidade!
O trajecto da Maratona de Lisboa aqui.
O trajeto da Maratona do Porto aqui.
O trajeto da Maratona de Sevilha aqui.
Para além da minha Maria e de meia dúzia de lobos quem me acompanha?
Vamos pois recomeçar tudo de novo rumo aquela que é, para mim, a melhor Maratona de Portugal. Pelo percurso duro mas fabuloso, pela organização irrepreensível, pelo sotaque do público. Anima-me o passado recente: 3 Maratonas concluídas entre Outubro de 2015 e Fevereiro de 2016:

Mensagens populares